Síria anuncia a chegada de navios de guerra russos a suas águas territoriais

Barcos de guerra russos entraram em águas territoriais da Síria, com o objetivo de realizar exercícios militares e demonstrar a disposição de evitar qualquer ataque da OTAN ao país sob pretexto de uma “intervenção humanitária”, como ocorreu na invasão e destruição da Líbia, informou a agência de notícias síria, SANA. A medida foi considerada um recado aos Estados Unidos de que Moscou não aceitará uma intervenção estrangeira nos assuntos internos do país árabe.

O Ministro de Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov, respondeu as acusações da OTAN de que o presidente Bashar al-Assad realiza uma sangrenta repressão contra inocentes manifestantes, assinalando que há grupos provocadores incitados desde o exterior que levaram a situação para uma guerra civil.

Ao comentar as exigências da OTAN sobre a “proteção da população civil” da Síria, Lavrov lembrou que apelos semelhantes precederam a tragédia na Líbia e que precisamente esse mote levou posteriormente a graves violações do mandato da ONU e aos bombardeios que “em vez de proteger os civis, os mataram”, divulgou a agência russa Novosti.

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Mark Toner disse que a declaração da Rússia de que a Síria está numa guerra civil não é verdadeira: “acreditamos que é em grande medida o regime de Assad que leva uma campanha de violência, intimidação e repressão contra manifestantes inocentes”, falou.

Foi a mesma versão divulgada quando os mercenários respaldados pela OTAN comandaram aviões de combate e dispararam granadas atiradas por foguetes na Líbia, e diziam que eram “manifestantes inocentes”, informou a Novosti.


Capa
Página 2
Página 3 Página 4 Página 5 Página 6 Página 7 Página 8