Evo celebra com bolivianos conquistas após cinco anos de governo popular

Milhares de bolivianos comemoraram nas ruas, dia 22, o primeiro aniversário da formação do Estado Plurina-cional encabeçado pelo presidente Evo Morales, “um Estado liderado pela maioria indígena, em substituição da velha república liberal”. No seu Informe à Nação na As-sembleia Nacional, Morales disse que “o Estado Plurinacional é o resultado das lutas dos movimentos sociais, dos movimentos indígenas. Um Estado que garante a igualdade e a justiça a partir da Revolução dos Poderes Constituídos”.

O presidente ressaltou as lutas a favor da igualdade, do emprego digno, respeito aos direitos humanos e a proteção da natureza e os resultados de sua gestão, entre eles, o crescimento que em 2010 atingiu 4,2% e o aumento dos direitos sociais de toda a população. Ressaltou o crescimento sustentado do PIB durante o último quinquênio: 4,8% em 2006; 4,5% em 2007; 6,15% em 2008; 3,3% em 2009 e 4,2% em 2010. Isso possibilitou melhoria da condição de vida nunca antes experimentada pelos trabalhadores.

O PIB per capita em 2010 chegou a US$ 1.818, superando o registrado em 2009, quando foi de US$ 1.683, em 2005 em US$ 1.010 e em 1989 em US$ 714.

Entre os anos 2006 e 2010, o Estado transferiu US$ 227 milhões à população, através da Renda Dignidade (a aposentados) e benefícios sociais como Juancito Pinto (às crianças) e Juana Padilla (às gestantes).

Destacou o investimento em educação e saúde, a criação de empregos, e a estabilidade do sistema financeiro que contou com 6,5 bilhões de dólares em créditos para a produção. Frisou ainda o crescimento do investimento público que entre os anos 2006 e 2010 teve uma media de 1,6 bilhões de dólares, frente a U$A 591 milhões anotados entre 2001 e 2005. Para este ano o investimento público, que inclui os recursos que proporcionará Jazidas Petrolíferas Fiscais Bolivianas (YPFB), chega a U$A 3,3 bilhões.

Evo também assinalou “as principais debilidades”. “O investimento nas refinarias era de 14,5 milhões de dólares, agora, (2006-2010) foram investidos 14 milhões”, reconheceu. Isso fez baixar a produção de gasolina e diesel de 48.546 barris por dia (bpd) obtidos em 2006 para 42.668 (bpd) em 2010. Essa redução ocorreu pelo baixo preço que tem o barril de petróleo no país: US$ 10,29, que não é rentável para nenhuma empresa diante dos US$ 90 que se paga internacionalmente.

Explicou que o Decreto 748 de 26 de dezembro de 2010, que nivelava os preços dos carburantes - anulado depois de 5 dias de protestos, tinha o objetivo de incentivar a produção de petróleo e anular a subvenção à gasolina e do diesel.

Morales informou que em 2010 essa subvenção foi de US$ 380 milhões; um “câncer para a economia nacional”. “É preciso convocar um debate nacional para determinar se o governo deve manter a subvenção aos carburantes”, declarou e anunciou ainda que se avançará na industrialização do país, priorizando os hidro-carbonetos e minerais, além de elevar a produção de alimentos para abastecer plenamente o mercado interno nacional.


 

Primeira Página

 

Página 2

Aepet: Petrobrás precisa priorizar empresas genuinamente nacionais

Anatel autoriza Telebrás a operar banda larga até o consumidor final 

Estatal anuncia produção recorde de petróleo e gás

CNI: decisões do BC desaceleram o ritmo de expansão da indústria

Cai expectativa de consumo das famílias, aponta Fecomércio-SP

Volta de Aristide ao Haiti será bem-vinda, afirma embaixador

Expediente

Página 3

Mínimo de 580 é crescimento e tabela do IR corrigida é justiça

Dilma define R$ 11 bilhões do PAC para a contenção de encostas e drenagens

Presidenta recebe Marta e dá apoio ao futebol feminino

Para Alckmin, gestão serrista na Secretaria de Logística e Transportes é caso de polícia 

Fernando Henrique rebaixa o papel do Brasil no mundo

Em nota conjunta, autoridades de Nova Friburgo repudiam “Veja”

Filantropo Álvaro Dias apresenta um recibo de doação com data suspeita 

Arruda é indiciado em outro crime: fraude na decoração natalina do DF

Página 4

Agnelo lança ações emergenciais para reverter caos na Saúde do DF

Agricultores do RS recebem crédito para aquisição de máquinas e equipamentos

Bairros de São Paulo permanecem alagados mesmo sem chuva

Ministério da Cultura retira a logomarca do Creative Commons de seu site oficial

CARTAS

Página 5

Centrais: “Nossa reivindicação ao governo de R$ 580 está mantida”

Bancários de São Paulo vão às ruas pelo aumento do mínimo

Trabalhadores realizam manifestação no RS e repudiam mínimo de R$ 545

Aeroviários e aeronautas conquistam acordo com 8,75% de aumento nos salários e 10% no piso

Empresas elevam proposta de aumento salarial em 0,1% e Sindpd suspende as negociações

Brasil se classifica para a fase final do Sul-Americano

Santos vence por 4 a 2 e já soma 11 gols em 3 jogos

Botafogo, Fluminense e Flamengo é só goleada

Página 6

Tunísia: multidão cerca sedes de governo pelo fim do velho regime

Evo celebra com bolivianos conquistas após cinco anos de governo popular

Belgas ocupam ruas de Bruxelas contra separatistas

Centrais da Galícia convocam greve geral na região contra as medidas de arrocho

Volta de Baby Doc ao Haiti foi engendrada pelos EUA

Ato lança cabo submarino que conectará Venezuela a Cuba

Peru apoia Estado Palestino com sua capital situada em Jerusalém

Página 7

Bank of America teve prejuízo e Goldman queda no lucro em 2010

Seis bancos americanos devem 222,6 bilhões de dólares ao Fdic

Moscou: atentado em aeroporto deixa 35 mortos

RPDC convida Coreia do Sul para debate em nível militar sobre suas pendências

FMI aprova mais US$ 30 bilhões para a Polônia seguir “robusta e equilibrada”

Cavaco Silva torna-se o presidente de Portugal eleito com menos votos

Paquistaneses protestam contra massacres de civis pelos EUA

Aeroviários da British Airways decidem por greve contra cortes

Página 8

Roberto Simonsen: a indústria e o desenvolvimento do Brasil (3)