Tarso concorda com professores e anuncia concursos

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), anunciou para os líderes dos professores gaúchos a realização de concurso público para o preenchimento de vagas no estado. Além disso, o governador concordou com outros dois pontos da lista de reivindicações apresentada na primeira reunião entre o governo e representantes da categoria, realizada na segunda-feira (28), para debater as demandas dos trabalhadores da educação.

O resultado da reunião foi a instalação de uma mesa de negociação, com a primeira reunião marcada para o próximo dia 15 de março.

Na reunião com dirigentes do Cpers/Sindicato (Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul/Sindicato dos Trabalhadores em Educação), além da questão do concurso público, o governo concordou com a revogação de uma portaria que dificultava a participação dos professores em seminários de formação e a liberação dos dirigentes sindicais.

De acordo com Tarso Genro, até o dia 15 haverá “uma proposta mínima em relação aos demais pontos apresentados no programa de reivindicações”.

Uma das reivindicações é que o piso base nacional (R$ 1.596,00) seja o básico do plano de carreira para professores e funcionários. “O piso é um processo de construção. Há um compromisso de princípio com o piso dos professores, mas há também as limitações das nossas possibilidades financeiras e, por isso, tem de ser construído processualmente”, explicou o secretário da Educação, José Clóvis de Azevedo.

O Sindicato formou um conselho geral, no qual foram definidos 17 pontos da plataforma dos trabalhadores da educação. Entre os pontos está a manutenção dos atuais planos de carreira de professores e agentes educacionais; fim dos contratos emergenciais; realização de concurso público, com imediata nomeação; rejeição ao sistema de “meritocracia” e a reforma da previdência, entre outros.

“Nós esperamos que, na próxima audiência, já possamos abrir o processo de negociação sobre o tema dos salários e as condições de trabalho e de aprendizado para os alunos nas escolas”, destacou a presidente do Sindicato, Rejane Oliveira.
 


 

Primeira Página

 

Página 2

Fernando Henrique ataca Lula por fazer “gastos exagerados” 

Petrobrás fica altamente vulnerável com 300 mil terceirizados, alerta Aepet

Corte no Orçamento reduz 5,1 bilhões do programa Minha Casa, Minha Vida

Aumento da Selic esfria economia e eleva despesas públicas com juros, afirma Fiesp

Abimaq: suspensão do PSI retira importante ferramenta de desenvolvimento da indústria

Para Contec, “escalada de juros criará economia dos cemitérios”

Serra defende mais arrocho

Expediente

Página 3

Mantega recita o FMI: país não pode crescer ‘mais de 4,5%, 5%’ 

Tarso concorda com professores e anuncia concursos

Requião: congelamento do salário mínimo é um erro

Página 4

Governo do DF recupera de OSs a gestão da Ceasa e Vilas Olímpicas

Prefeitos gaúchos discutem com Telebrás implantação de ‘cidade digital’ no Alto Jacuí

Operadoras de telefonia terão que reduzir preço da assinatura básica à população de baixa renda

AES/Eletropaulo culpa mau tempo por apagão; Inmet afirma que a chuva foi típica de verão

Distribuidoras de energia elétrica terão que indenizar consumidores por cobrar R$ 7 bilhões indevidamente

Estudo mostra que ampliação da matriz nuclear no país reduzirá a emissão de gases poluentes

CARTAS

Página 5

Movimento Social: política de corte é oposta à que foi aprovada nas urnas

Em encontro com Lupi, Neto defende que aumento real do mínimo seja assegurado

Confederação dos Servidores condena o congelamento de concursos públicos

NCST critica reajuste de 4,5% na tabela do Imposto de Renda

Petrobrás: terceirizados da área de sondagem entram em greve

ESPORTES

Página 6

Americanos ocupam as ruas em apoio aos servidores de Wisconsin

Tunísia: levante popular derruba premiê remanescente da ditadura de Ben Ali

Tunísia, Egito, Líbia, Revolução Nacional Árabe ou a guerra dos monopólios pelo controle do petróleo

A Folha e o neocolonialismo petroleiro-1

Página 7

Kadafi: “Estamos dispostos a defender a independência do nosso país”

Líderes mundiais condenam ingerência externa na Líbia

Conselho de Segurança da ONU se submete aos EUA e aprova sanções contra a Líbia

Repórter da Telesur informa que atos transcorrem em clima de normalidade

Iraque: polícia atira em manifestantes e assassina 14

Próximo passo deve ser a Constituinte

 

Página 8

A cultura livre do Creative Commons: um capitalismo bonzinho e altruísta