Ministérios rebatem reportagem do “Fantástico”

Em nota à imprensa, os Ministérios do Planejamento e Transportes e órgãos ligados à área desmentiram reportagem veiculada pela Rede Globo, no Programa "Fantástico" de domingo, com o título "Deficiência estrutural nas ferrovias e portos faz Brasil desperdiçar bilhões". A nota diz que a emissora faltou com a verdade em vários momentos da reportagem que supostamente foi feita para analisar a situação das estradas de ferro e portos brasileiros.

"Não é verdadeira a informação sobre a dragagem do Porto de Santos", diz o governo. "Ao contrário do que diz a matéria, recentemente foi concluída a primeira fase da dragagem de aprofundamento do canal de acesso e bacias de evolução do Porto", diz a nota. "Essa dragagem amplia o acesso de grandes navios e eleva a capacidade de transporte de carga. Também foi concluída a implosão das pedras de Itapema e Teffé, além da retirada do navio Ais Georgis, que contribui para melhorar a movimentação de grandes embarcações", destaca a nota.

Em relação à Ferrovia Norte-Sul os ministérios desmentem informação da reportagem de que não há pontes e passagens programadas. "Na reportagem sobre o trecho Anápolis/Estrela d’Oeste, não é verdadeira a informação de que não há projeto para pontes e passagens", diz a nota. "Todos os projetos executivos das 69 pontes ou passagens estão finalizados. 60 deles estão aprovados e os nove restantes, em fase final de análise. A previsão de conclusão de obras nesse trecho é julho de 2014", salienta.

Segundo o governo, "a reportagem não aborda os benefícios já gerados pelos trechos em operação da Ferrovia Norte-Sul e omite parte de sua história: de 1987 a 2002 foram realizados 215 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul. A partir de 2003, foram concluídos 504 quilômetros entre Aguiarnópolis (TO) e Palmas (TO). De 2008 até junho de 2012 já foram transportados quase 9 milhões de toneladas de grãos, minério de ferro e areia na Ferrovia Norte-Sul".

A mensagem diz ainda que "o PAC marca a retomada do modal ferroviário no transporte de cargas no Brasil, que manteve sua malha estagnada até meados de 1996". "O PAC representará uma ampliação da malha ferroviária de 5.050 quilômetros até 2016, muito superior aos 719 quilômetros de expansão da malha nos 20 anos que o antecederam", acrescenta. "Além da Norte-Sul, destacam-se grandes obras como: 114 quilômetros em operação da Ferronorte, entre Alto Araguaia (MT) e Itiquira (MT). 146 quilômetros da Ferronorte, em fase final de obras: Itiquira (MT) e Rondonópolis (MT)". Com o PAC, o planejamento de expansão da malha ferroviária pelo Governo Federal permitirá a sua ampliação em mais de 15 mil km, mais de 50% da malha hoje existente, 28.700".


Capa
Página 2
Página 3

Fantástico show de falsificações contra portos e ferrovias do país

Projeto de lei 4470/12 tira ainda mais o tempo dos partidos na TV

Ministérios rebatem reportagem do “Fantástico”

Começa a correr prazo para recursos das defesas dos réus do suposto “mensalão” 

Barbosa reforma banheiros por R$ 90 mil

Altamiro: Estadão e Época querem calar Dilma

Página 4 Página 5 Página 6

Deputado republicano questiona por que FBI ignorou aviso russo

Sergey Lavrov adverte os que querem dar armas aos mercenários na Síria

Madri: 70 mil nas ruas contra privatização da saúde

Governo da Espanha atualiza previsão da recessão deste ano: -1,5% em vez de -0,5%

CGT portuguesa conclama trabalhadores à luta para derrotar o arrocho da Troika

Projeto de Cristina para democratizar Judiciário é aprovado no Senado

China denuncia EUA por violação de direitos humanos

Página 7 Página 8

O suposto “mensalão” e o falso “domínio do fato” na AP 470 (1)