Preço das passagens cai no Rio e em outros 11 estados

Aumentos foram revogados em dezenas de municípios. No Rio de Janeiro, o governador Sérgio Cabral e o prefeito da capital, Eduardo Paes, baixaram o valor das tarifas em R$ 0,20

Diante da pressão popular que com mais de 100 mil manifestantes tomou as ruas da capital fluminense, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) e o governador Sérgio Cabral (PMDB) anunciaram na última quarta-feira (19) a decisão da prefeitura e do governo do Estado de cancelar o aumento das tarifas de ônibus, trem, metrô e barcas.

A redução da tarifa começa a valer a partir de sexta-feira (21).

Os mais de 100 mil que se manifestaram na Avenida Rio Branco, no centro do Rio na última segunda-feira (17) conseguiram que a tarifa de ônibus de R$ 2,95 reais voltasse para R$ 2,75 reais. A tarifa havia aumentado para R$ 2,95 no dia 1º de junho.

Os trens da Supervia, que no início de fevereiro tiveram aumento nas tarifas para R$ 3,10, retornam ao valor de R$ 2,90. O mesmo ocorre com o Metrô, cuja passagem voltará a custar R$ 3,20 - o preço havia sido elevado no início de abril para R$ 3,50.

As barcas terão uma distinção específica: com o uso do Bilhete Único estadual, passará de R$ 3,30 para R$ 3,10. Sem o cartão que dá direito a uso conjunto dos meios de transportes, o valor será reduzido de R$ 4,80 para R$ 4,50.

Segundo Paes, o cancelamento do aumento vai implicar em cortes de gastos em outras áreas devido às restrições orçamentárias. “São escolhas sobre prioridade que vamos ter que definir. Tivemos um aumento de custo durante 18 meses e esses custos não serão repassados”, disse. Entretanto, reduzir a margem de lucro das concessões dadas as empresas privadas no setor não foi uma ideia apontada pelo prefeito.

CAPITAIS

A decisão pela redução das tarifas foi tomada ainda em outras cidades do país. Prefeitos de importantes municípios optaram em cancelar ou reduzir o valor dos aumentos nas passagens após a intensificação dos protestos ocorridos nas últimas semanas. Principalmente depois da última segunda-feira, onde centenas de milhares de pessoas exigiram a redução das passagens em dez capitais e outras cidades do país. Assim como no Rio de Janeiro, outras nove capitais e diversas cidades do país também concederam redução do aumento das tarifas do transporte público.

Na capital gaúcha, o prefeito José Fortunati (PDT) divulgou na terça-feira (18) que o valor será reduzido, no mínimo, de R$ 2,85 para R$ 2,80. A queda, segundo ele, será possível devido à isenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) sobre o transporte coletivo. Fortunati disse que pedirá ao governo do estado a isenção de ICMS no óleo diesel, o que permitirá, eventualmente, uma redução a até R$ 2,70.

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), anunciou, em conjunto com prefeitos da Região Metropolitana de Recife a redução nas tarifas. A redução é de R$ 0,10, e vale para as passagens de todos os ônibus que atendem a Região Metropolitana. Segundo Campos, a redução foi possível devido à medida provisória do Governo Federal que desonerou o Pis/Cofins para o transporte público. Ao todo, dois milhões de pessoas na Região Metropolitana de Recife usam ônibus todos os dias e 80% dos passageiros pagam a tarifa mais barata, que é a tarifa do Anel A, que com a redução vai baixar de R$ 2,25 para R$ 2,15.

Em João Pessoa, o prefeito Luciano Cartaxo (PT) anunciou a redução de R$ 0,10 na tarifa de ônibus na capital paraibana. O valor passa de R$ 2,30 para R$ 2,20 a partir do dia 1º de julho.

Cuiabá onde as manifestações reuniram 10 mil pessoas a redução do transporte coletivo ficou em R$ 0,10. O novo valor, R$ 2,85.

Em Manaus, a Prefeitura havia anunciado a redução de R$ 3 para R$ 2,90. a nova tarifa entrou em vigor nesta semana.

A capital capixaba, Vitória, conquistou uma redução de cinco centavos. A tarifa passou de R$ 2,45 para R$ 2,40. Na capital do Rio Grande do Norte, Natal, a diminuição da tarifa de ônibus foi de R$ 0,10. Passou de R$ 2,40 para R$ 2,30.

CIDADES

Além das capitais outras cidades também reduziram o preço da tarifa do transporte. Em Araraquara a Prefeitura anunciou na quarta-feira (19) a redução da tarifa do transporte coletivo de R$ 2,90 para R$ 2,80. Em fevereiro, o preço da passagem foi aumentado em fevereiro de R$ 2,70 para R$ 2,90. Ontem, manifestantes protestaram pelo segundo dia consecutivo contra o aumento e chegaram a invadir a Câmara.

Em entrevista coletiva concedida na quarta, o prefeito de Araraquara, Marcelo Barbieri (PMDB), disse que a medida é uma resposta aos protestos promovidos em Araraquara.

Em Campinas (SP) houve uma segunda redução nas tarifas. Com a nova redução no preço do bilhete do transporte público, a passagem custará R$ 3 a partir da próxima segunda-feira (24). Segundo o prefeito Jonas Donizette (PSB), a decisão foi tomada “por causa do momento e do clamor da população”. Donizette já havia determinado o corte na passagem dos atuais R$ 3,30 para R$ 3,20, a partir do dia 30 deste mês, após a isenção do PIS e da Cofins. Guarulhos, Osasco e algumas cidades da Grande São Paulo também reduziram as tarifas.

Em Pelotas (RS), Caxias do Sul (RS), Alvorada (RS), Montes Claros (MG), Foz do Iguaçu (PR), Blumenau (SC), Joinville (SC), Sertãozinho (SP), também ocorreram reduções das tarifas que variaram de R$ 0,05 até R$ 0,20.

 
Capa
Página 2
Página 3

Tarifas de ônibus, metrôs e trens caem após manifestações no país

Dilma: vozes das ruas querem cidadania e transporte de qualidade com preço justo

Fracassa tentativa de impedir os torcedores de ver o Brasil jogar

Provocadores se infiltram e depredam prefeitura de SP, lojas e equipamentos

Abin desmente Veja e afirma que ‘espionagem’ contra Eduardo Campos não passa de invenção

OAB, delegados e juízes defendem aprovação da PEC 37, pela legalidade

FUP defende manifestações contra os leilões de petróleo

Página 4 Página 5 Página 6

A necessidade da PEC 37 para garantir a legalidade e o Direito

Página 7 Página 8

Publicidade