Para Centrais, caso pautas não sejam atendidas, o movimento poderá evoluir para uma greve geral 

As centrais sindicais irão se reunir no dia 12, sexta-feira, para avaliar as mobilizações que realizadas em todo o país no dia 11. A expectativa é que se marque uma nova data em agosto com manifestações e paralisações, caso as reivindicações da pauta não sejam atendidas pelo Palácio do Planalto, o que pode evoluir para uma greve geral.

“Nós vamos esperar o retorno dos interlocutores (do governo federal) para atender nossas reivindicações. Se não atender as nossas reivindicações, podemos fazer uma greve maior, é uma questão de entendimento ou não entendimento”, afirmou o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas.

Entre as reivindicações dos trabalhadores estão o fim do fator previdenciário, a redução da jornada de trabalho para 40 horas, política de valorização dos aposentados, investimento em Transporte, Saúde e Educação, e fim das terceirizações.


Capa
Página 2
Página 3

Trabalhadores ampliam a voz das ruas para o Brasil crescer

Amorim: Brasil está vulnerável à espionagem

Fernando Brito: o MP falhou e se omitiu no sumiço do processo de sonegação da Globo

Royalties para Educação e Saúde: Câmara rejeita mudanças do Senado e repõe verbas

Siqueira: a lei não prevê a tabela que a ANP criou para o pre-sal

Requião: a Bozz Allen planejou programas para o governo FHC

Página 4 Página 5 Página 6

Rússia exibe provas do uso de gás sarin pelos mercenários na Síria

Egito: premiê assume propondo cortar subsídios a alimentos e gás de cozinha

Cristina: “Estado é fundamental para reerguer a economia da Argentina”

Centrais sindicais gregas convocam greve geral contra a demissão massiva no setor público

   “Submissão de Peña Nieto a EUA joga o povo na miséria”

Ex-ministro chinês condenado a pena de morte por corrupção

 

Página 7 Página 8

Tancredo e a emancipação do Brasil

Publicidade