Múlti Coca-Cola compra 100% da indústria brasileira Spaipa

A Coca-Cola Femsa anunciou no sábado (31) a aquisição de 100% da indústria brasileira de bebidas Spaipa S.A. A compradora que é uma joint venture entre a Coca-Cola e a varejista e engarrafadora mexicana Femsa pagou pela transação US$ 1,85 bilhão de dólares e completa com o negócio a sua sétima aquisição no Brasil desde 2003.

A fabricante de bebidas Spaipa tem sede em Curitiba e atende 399 municípios do Paraná e 336 em São Paulo. A empresa possui duas fábricas em cada um desses estados, além de sete centros de distribuição. São 6 mil funcionários e 445 caminhões que atendem 116 mil pontos de venda. Fundada em 1946, como Paraná Refrigerantes, a empresa teve receita líquida de US$ 929 milhões em 2012.

Esta foi a segunda compra anunciada pela multinacional americana nos últimos três meses. Em junho, a Coca-Cola adquiriu a Companhia Fluminense de Refrigerantes, engarrafadora com atuação em parte dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.


Capa
Página 2
Página 3

Dilma foi espionada pelos EUA, revelam documentos

Leilão de Libra: um crime contra o desenvolvimento, a soberania nacional e as condições de trabalho (FUP)

FUP convoca ato contra o leilão de Libra no pré-sal

STF mantém injustiça e condenação de Dirceu

Cabral diz que não há definição sobre sua saída do governo

Donadon: Alves diz que vai pedir urgência ao Supremo

Globo: a defesa do apoio ao golpe e à ditadura

Fuga de Molina da embaixada brasileira foi um fato grave, reitera Dilma para Evo

Página 4 Página 5 Página 6

Mexicanos rechaçam a privatização da Pemex

   Central dos servidores gregos convoca greve nacional contra demissões para atender Troika

Greve nacional na Colômbia tem primeiras vitórias

Centrais marcam greve contra aumento do tempo de contribuição para aposentadoria

PIB da Espanha tem recuo pelo oitavo trimestre

Tribunal Constitucional de Portugal rejeita lei que facilita demissões em massa no país

Provocações EUA/Coreia do Sul sabotam esforços de paz

Página 7 Página 8

O baixo investimento e o massacre da indústria nacional de bens de capital