Manifestações nos EUA e Europa repudiam ameaças de Obama de bombardear a Síria

EUA – Manifestações em Nova Iorque, Washington – diante da Casa Branca -, Los Angeles, Chicago, Seattle, Philadelphia, Tallahassee e outras cidades repudiaram a ameaça de bombardeio à Síria, clamando, “Obama, você mentiu para mim, bombear não é democracia”, “nada de nova guerra na Síria” e “ocupação é um crime, da Síria à Palestina”. Dia 7 está convocada uma concentração em Washington para pressionar os congressistas a rejeitarem o ataque à Síria.

INGLATERRA - A decisão dos congressistas britânicos de vetarem o ataque à Síria por 285 votos a 272 foi festejada no último sábado com uma manifestação popular no lado de fora do Parlamento.

Portando faixas e cartazes da República Árabe, a multidão fez ecoar a palavra de ordem “Não toquem na Síria”, comemorando a derrota do primeiro-ministro David Cameron, que havia destampado o arsenal de mentiras e chantagens para que sua submissão a Washington fosse aprovada. Derrotado, Cameron precisou admitir que “ficou claro que o parlamento não quer uma ação militar”.

ESPANHA – Na tradicional Porta do Sol, no centro da capital espanhola, os madrilenhos entoaram “Somos todos Síria” e “Imperialismo é terrorismo”, colocando cartazes em branco no chão para que as pessoas escrevessem. “Isto não é uma intervenção humanitária. Bombas matam”, dizia um deles.

TURQUIA – Entoando cânticos contra a Otan, manifestantes se concentraram na capital turca, Ankara, em frente ao Ministério das Relações Exteriores, para “rechaçar qualquer agressão à Síria”, país vizinho. Em Esmirna, no oeste, o Partido dos Trabalhadores organizou um protesto que chegou até a entrada do quartel general da Otan, de onde se comandaria um possível ataque à República Árabe. “Outra vez estão reproduzindo o mesmo script usado contra o Iraque, mas a nação turca já não crê mais nestas alegações, nestes cenários montados”, declarou Hasan Ali, dirigente do partido na região.
 


Capa
Página 2
Página 3

Dilma foi espionada pelos EUA, revelam documentos

Leilão de Libra: um crime contra o desenvolvimento, a soberania nacional e as condições de trabalho (FUP)

FUP convoca ato contra o leilão de Libra no pré-sal

STF mantém injustiça e condenação de Dirceu

Cabral diz que não há definição sobre sua saída do governo

Donadon: Alves diz que vai pedir urgência ao Supremo

Globo: a defesa do apoio ao golpe e à ditadura

Fuga de Molina da embaixada brasileira foi um fato grave, reitera Dilma para Evo

Página 4 Página 5 Página 6

Mexicanos rechaçam a privatização da Pemex

   Central dos servidores gregos convoca greve nacional contra demissões para atender Troika

Greve nacional na Colômbia tem primeiras vitórias

Centrais marcam greve contra aumento do tempo de contribuição para aposentadoria

PIB da Espanha tem recuo pelo oitavo trimestre

Tribunal Constitucional de Portugal rejeita lei que facilita demissões em massa no país

Provocações EUA/Coreia do Sul sabotam esforços de paz

Página 7 Página 8

O baixo investimento e o massacre da indústria nacional de bens de capital