Chile: a anatomia de um golpe -8

PAULO CANNABRAVA FILHO*

Frederick Latrash e Raymond A Warren, também agentes da CIA envolvidos no golpe contra Allende, atuaram antes na derrubada do governo Arbenz na Guatemala. Outro dessa mesma equipe, James E Anderson, participou na invasão de Santo Domingos em 1965. Harry Shlaudeman, segundo chefe da missão estadunidense no Chile, teve ativa atuação na República Dominicana, na mesma época. Além desses integraram a equipe Arnold M Isaacs, Jophn B Tipton, Joseph F Mc Manus e Keyth W Weeloock.

A Nacla ressalta que essa equipe, além de ter operado no Chile, participou nas ações na Guatemala em 1954, no Brasil em 1964, na Bolívia em 1971 e no Uruguai em 1973. Além desse pessoal especializado os EUA ajudaram financeiramente o golpe diretamente através de sua embaixada em Santiago e por outros canais. O Chile recebeu, em 1972, uma ajuda militar no valor de 7 milhões de dólares.

Por último, por uma inexplicável coincidência, quando se produz o golpe em 11 de setembro, estava apresente em águas territoriais chilenas uma frota da Marinha de Guerra dos EUA que participava da Operação Unitas… e, três dias depois de ter sido chamado a Washington o embaixador Davis, para prestar contas. Garcia Marquez diz que a intervenção militar começou a gestar-se desde finais de 1969 entre companheiros de armas dos EUA e Chile.

Aviões estadunidenses participantes dessas "manobras" é que bombardearam com precisão o Palácio de La Moneda e que tentaram afundar um barco mercante cubano que descarregava em Valparaíso. O barco escapou do bombardeio graças a incrível perícia de seu comandante, o brasileiro Thales Godoy. Bastante avariado o barco foi conduzido a águas peruanas e pôde ser reparado no porto de Callau para então seguir viagem. A história do almirante Thales palacio la moneda Godoy, herói brasileiro e herói cubano, ainda não foi contada.

 PARTICIPAÇÃO DAS EMPRESAS

O golpe de 11 de setembro contra Salvador Allende no Chile, durante o governo de Nixon, tendo Kissinger como secretário de Estado, foi também uma decisão empresarial. Bob Woodward dá o nome de um dos protagonistas: Donald Kendall, dirigente do Council e amigo de Nixon, presidente executivo da PepsiCo tinha uma engarrafadora no Chile e não suportava a ideia do país ser socialista. Mobilizou o Council e seu amigo Richard Helms que estava de diretor da CIA. No mesmo dia Nixon chamou Helms, Kissinger, John Mitchel e Edward e ordenou acabar com a farra chilena.

O Council, fórum dos executivos das transnacionais com sede nos EUA, teve papel protagônico também no Brasil de 1964, mobilizando recursos e orientando de um lado as agências de publicidade e de outro os meios de comunicação.

René Dreifuss, em A Conquista do Estado, revela - segundo o ex-embaixador estadunidense Edward Kerry - a repetição das técnicas empregadas no Brasil dez anos antes, com efeito devastador encetada por empresários locais e estrangeiros pertencentes ao Council. Destaca-se a atuação de Gilbert Huber Jr, líder do IPES, sócio de Luis Fuenzalide, agente destacado na articulação da conspiração contra Allende.

Um relatório elaborado por John Plank, da Universidade de Connecticut para o Council em 1971, justifica as agressões promovidas pelos EUA nos anos 1950 com o argumento de que "se não tivessem ocorrido a América Central e o Caribe estariam sob o comunismo". Diz mais adiante que a lição de Cuba é que não se pode permitir a "sobrevivência de movimento insurrecional por insignificante que seja". Agrega que a lição da ascensão marxista com Allende no Chile "é que as sociedades latino-americanas, por mais politicamente sofisticadas que pareçam, não merecem confiança como em jogo político livre. Se um Allende pode ser eleito no Chile, o que pode acontecer com países politicamente menos desenvolvidos?"

O secretário de Estado Willian Rogers, em reunião com executivos da ITT, Ford, Anaconda, Ralston Purina, Fierst National City Bank, Bank of America e outros, afirmou em alto e bom som que "o governo de Nixon é um governo de empresas. A sua missão consiste em proteger negócios americanos". Resultado: suspenderam os programas de ajuda, exceção da militar que subiu de 800 mil dólares em 1969 para 12 milhões em 1971. Cortaram os suprimentos de créditos dos bancos inclusive dos bancos multinacionais como BID e outros.

TENTÁCULOS DA ITT

No Chile, nenhuma outra empresa ultrapassou o comportamento da ITT (International Telephone & Telegraph). Na época o executivo no Chile era Jack Neal, também diretor do Council, havia servido no Departamento de Estado. Criada em 1920, rapidamente, através de aquisições, situou-se, nas décadas de 1960 – 1970, entre os maiores conglomerados empresariais do mundo, com mais de 350 empresas, 150 das quais nos EUA e faturamento superior a 17 bilhões de dólares anuais. O conglomerado chegou a empregar mais de 380 mil trabalhadores em 70 diferentes países. A partir de 1995 dividiu-se em três companhias independentes: ITT Corporation, com foco em hotelaria e jogos, ITT Hartfort, operadora de seguros, e ITT Industries, incorporando numerosas indústrias.

Para se ter uma ligeira ideia da amplitude da atuação da ITT enumeramos alguns dos campos de atuação que complementam a área de telefonia: Imóveis – Lavitt and Son; Lâmpadas – Claude; Rádios – Oceanic; Freios para veículos – Alfred Pevef;Limpadores de parabrisas – Sociedade Alemã SWF; Televisores – Euroset; Presunto – Smith Jeald; Pão – ITT Continental Breakeris; Fibras sintéticas – ITT Rayniere; Vidros – Pensilvania Glasse Sand Corporation; Adubos e alimentos congelados – Morton Frozen Food; Aluguel de autos – Avis Rent a Car; Seguros – Harfer Fire Insurence; Academia para secretárias – Pigier; Editoras – Bobs Merril; Hotéis – Sheraton; Restaurantes – Kinziespeak and Shoap House.

Esse verdadeiro monstro transnacional interferiu nos assuntos internos de quase todos os países do mundo. Colaborou com Hitler, durante o III Reich, ajudou o genocídio imperialista no Vietnam, e desempenhou papel decisivo para derrocar o presidente Allende, não sem antes ter ajudado significativamente a conspiração contra Goulart no Brasil.

A descrição das atividades da ITT no Chile está contida em um informe elaborado por altos executivos da empresa a seus superiores e que foi parar nas mãos do jornalista Jack Anderson que o publicou no Washington Post. O informe compreende 32 documentos que revelam como a ITT tentou impedir que Allende fora ratificado presidente pelo Congresso e, diante do fracasso dessa tentativa, como foi planejado o golpe que culminaria com o bombardeio do palácio presidencial e a morte do presidente.

*Jornalista e historiador, editor de Diálogos do Sul, é membro do Sindicato dos Escritores de São Paulo. A maior parte desta reportagem foi publicada em 1973 e 1974. Em 1974 saiu em livro da Editorial Horizonte, de Lima, Peru e uma edição ampliada em Milão, Itália em 1975. Os fundos arrecadados serviram para a atenção aos refugiados


Capa
Página 2
Página 3

Dilma critica EUA por grampo mas mantém o leilão de Libra

Ato no Clube de Engenharia reúne entidades e lideranças do país contra o leilão de Libra

Petroleiros em greve repudiaram leilão

Artistas e dirigentes sindicais dizem NÃO ao leilão na Praça XV 

Uma nova alternativa para o Brasil (Vladimir Palmeira)

Barbosa quer a dispensa da mulher de jornalista que denunciou os seus gastos

Congresso celebra os 60 anos da Petrobrás

Página 4 Página 5 Página 6

General Giap: ousadia e gênio a serviço da libertação do Vietnã

Cuba saúda o general Vo Nguyen Giap

Chile: a anatomia de um golpe - 8

Página 7 Página 8

A perdição da Oi e a falência das ilusões subimperialistas