Tsipras: "Vamos afastar os que conduziram o país à catástrofe"

Líder destaca que "patriotismo retomará autonomia da Grécia"

As mentiras chegaram ao fim. Domingo a Grécia receberá um profundo sopro de otimismo, segurança, e segunda, com muita determinação, vamos inaugurar uma nova página", afirmou Alexis Tsipras, candidato que encabeça a coalizão Syriza, de oposição ao governo de Antonis Samaras (Nova Democracia), que submete a Grécia a uma economia de arrocho o que tem levado o país ao maior desemprego entre os da União Europeia com a economia em retrocesso. Samaras foi antecedido pelo governo dos ditos ‘socialistas’ do Pasok com Papandreou à frente. Os ‘socialistas’, que haviam chegado ao poder prometendo melhorar a vida dos gregos, fizeram o contrário e se submeteram aos ditames da chamada Troika (FMI, BC da Europa e União Europeia) que incluiu irrestritas privatizações e cortes nos empregos, nos programas sociais e direitos trabalhistas para engordar os bancos. Em 2012 amargaram uma acachapante derrota nas urnas dando passo aos continuadores de sua política, agora com a ND à frente.

Diante das eleições do dia 25 ao parlamento, de cuja composição sairá o novo governo grego, no último comício de campanha, na cidade portuária de Tessalônica, Tsipras, afirmou que com a vitória da colizão e "com muita determinação vamos inaugurar uma nova página com a vitória sobre as correntes que conduziram o país a uma catástrofe".

O presidente do Syriza conclamou aos cidadãos gregos a comparecerem às urnas para "vingar os traidores de seus sonhos".

"Chegou o momento da verdade para a Grécia, a esperança vai vencer o medo. Chegou o momento que a Grécia das luzes vence o obscurantismo medieval, pois o povo grego não é paria de ninguém", acrescentou.

Tsipras destacou ainda que "chegou a hora para um novo patriotismo. O Syriza forte significa uma Grécia autônoma" e alertou que o partido atualmente no governo, "a ND "representa o emaranhado de interesses das oligarquias".

Ele chamou à união de todos os gregos e denunciou as ameaças que inclui um "pesadelo de guerra civil desenhado pelo senhor Samaras" que não vingará pois a Syriza "tem maturidade para reconstruir a Grécia sem revanchismo e quem deve ter medo são os que amealharam fortunas ilegalmente e os sonegadores".

"Samaras não consegue esconder seu envolvimento junto aos credores, ele não consegue convencer ninguém e apelou para o medo", finalizou Tsipras.

Os candidatos da mudança têm, no seu programa, o engajamento numa nova trajetória da Grécia no seio da Europa, garantia de dignidade a todos os cidadãos, garantia dos depósitos individuais, de aposentadorias dignas, subvenções sociais, fim das execuções de residências, retorno do 13º aos aposentados, salário mínimo de 751 euros, retomando reduções que o haviam decrescido a 683 euros e uma isenção de impostos aos trabalhadores que ganham até 12 mil euros por ano, entre outras medidas.

NATHANIEL BRAIA


Capa
Página 2
Página 3

‘Propina na Petrobrás é execrável e envolvidos têm que ser presos’

Para deputado Sibá Machado, é interesse do trabalhador ter seus direitos cortados

Empreiteira do Clube do Bilhão tenta escapar da punição pedindo afastamento do juiz Moro

Vice do PT contesta críticas da Fundação Perseu Abramo e diz que Joaquim Levy é um ser superior

Irmão de Eduardo Campos estranha que jornal tenha acessado investigações da Aeronáutica

Entre os lacaios (Lênin)

Maluf: “Chinaglia é homem muito honesto. Voto nele” 

Página 4 Página 5

Contra traições de Dilma, Centrais convocam Dia Nacional de Lutas

Dirigente da CUT/RS inclui redução dos juros na pauta dos trabalhadores

Para sindicalistas, veto à correção do IR é confisco ao salário dos trabalhadores

Aeronautas e aeroviários iniciam paralisações diárias por reajuste

Polícia interdita Contax por violações trabalhistas no PE

Bancários defendem Caixa 100% pública

 

Página 6

Tsipras: "Vamos afastar os que conduziram o país à catástrofe"

Mexicanos denunciam o governo por abafar crime contra os 43 estudantes

"Este rapaz juntou pistas falsas e informações distorcidas"

Evo inicia novo mandato: "Vamos consolidar revolução com conquistas na produção e justiça"

Relatório da Oxfam subestima desigualdade no planeta

Boko Haram: o braço armado para desestabilizar a Nigéria (II)

Síria: ataque terrorista em Homs mata 5 civis e fere 70

Página 7

 Obama promete no Congresso tudo o que sabe que não passa

    Iêmen: capacho pró-EUA escapa por agora de andar na prancha

   
Economia chinesa cresceu 7,4% e a indústria teve incremento de 8,3%

    "Liberdade de expressão" na França: piada com Charlie dá cadeia e insulto à fé islâmica é chique

  
 Alemanha acelerou em 2014 o repatriamento de sua reserva de ouro sob custódia dos EUA

    RPDC conclama nação coreana à reunificação pacífica e independente
 


   
 

 



  

Página 8

O nascimento da República e os jabutis em cima das árvores (4)