Mobilizações dos caminhoneiros pela tabela obrigatória do frete já chegam a seis estados  

Depois de o governo rejeitar a proposta de estabelecer um valor mínimo obrigatório para o frete no país, os caminhoneiros decidiram reiniciar os movimentos grevistas. Nos primeiros dias de protesto, são seis estados com rodovias paradas e protestos acontecidos na última semana.

Desde o dia 23, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Ceará e Maranhão participam de atividades de greve.

Só no Rio Grande do Sul, são seis os pontos de interdição de rodovias. Nesse estado, os motoristas estão parados nos municípios de Três Cachoeiras, Soledade, Veranópolis, Ijuí, Santa Rosa e Frederico Westphalen.

No Paraná, as manifestações dos caminhoneiros estão localizadas nas rodovias próximas aos municípios de Medianeira, Marialva e Laranjeiras do Sul. Ao todo são cinco interdições em quatro rodovias (BRs 277, 186, 163 e 368).

Em Mato Grosso, já são seis as interdições, duas próximo ao município de Lucas do Rio Verde, duas em Rondonópolis e duas em Diamantino.

No Ceará, os caminhoneiros bloqueiam totalmente a rodovia BR­116, na altura do quilômetro 204, próximo ao município de Tabuleiro do Norte. As demais interrupções são parciais.

Cerca de 20 caminhoneiros tentaram bloquear a rodovia BR­282, próximo ao km 642, em São Miguel do Oeste (SC), por volta das 2h. A PRF conversou com os manifestantes que liberaram a rodovia e se concentraram em um posto de combustível.

Em Imperatriz (MA) mais de 40 caminhões estão parados na BR-010.

A criação da tabela mínima de frete é defendida para que o transportador não seja lesado pelos baixos preços pagos pelas transportadoras aos caminhoneiros. “Com uma tabela mínima os encargos do preço do diesel, por exemplo, não caem unicamente para cima do trabalhador como acontece hoje que as transportadoras não abrem mão de sua margem de lucro mesmo com os aumentos que acabam onerando apenas os caminhoneiros”, destacou o vice-presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB) e presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga (SINDITAC) de Ijuí (RS), Carlos Alberto Litti Damer.

 

 


Capa
Página 2
Página 3

MPF denuncia Vaccari e Renato Duque por lavagem de propina

Aliada de Eduardo Cunha alega na PF não lembrar o motivo de assinar requerimentos

Presidenta decide não falar nada para o trabalhador no Primeiro de Maio, na TV 

Fala de Dilma sobre terceirização é dúbia

arta reafirma relatório contra adiamento da redução das dívidas de Estados e municípios

“É necessário sair da base do governo Dilma”, defende governador pedetista do MT

Calote do governo federal obriga governo do RS a adiar pagamento da parcela da dívida com a União

Na PF, Gleisi admite que pediu doação ao Cartel do Bilhão

Página 4 Página 5

Professores retomam greve no PR contra assalto à Previdência

Pressão dos trabalhadores reverte 500 demissões na Mercedes-Benz

Ministro afirma ter confiança que MPs que roubam direitos trabalhistas ‘serão aprovadas’

Professores de São Paulo aprovam continuidade da greve

Philips é condenada a indenizar trabalhadores por contaminação

ESPORTES

Página 6

   A política de sabotagem e privatização da senhora Rousseff contra a Petrobrás

Página 7

Assassinato de jovem negro por polícia racista conflagra Baltimore

Testemunha relata: policial deu joelhaço nas costas de Freddie

   Castor Bryant: “não sei como você pode ser negro nos EUA e ficar em silêncio”

  
Corrupção e impunidade nos EUA

Comunidade internacional mobiliza ajuda para o Nepal

   Ativistas entregam na ONU 8 milhões de assinaturas por um mundo sem a Bomba-A

Página 8

Cameron faz cortes no NHS e já atinge tratamento de leucemia

Motoqueiros russos repetem trajeto do Exército Vermelho rumo a Berlim na 2a Guerra

Professores em greve marcham em Bogotá por salários e contra a privatização do ensino público

México: pais repudiam 2 anos de impunidade de agressores dos 43 estudantes em Iguala

Marcha contra agressão de Obama a Venezuela toma as ruas de Caracas

Aos iemenitas determinar o seu futuro