Milhares foram às ruas em apoio à Grécia nas principais cidades da União Europeia
 

  Milhares de pessoas em diversos países europeus se manifestaram em solidariedade ao povo grego, às vésperas do referendo que acabou dando a esmagadora vitória ao Não. Na Inglaterra, integrantes da entidade Justiça Agora, se concentraram diante do Museu Britânico com slogans como ‘OXI’ (Não), “Basta de Pilhagem” e “Todo Apoio à Grécia. Também ocorreram atos de apoio ao povo grego contra o FMI e o regime Merkel em Portugal, Espanha, Turquia, Escócia e Itália. “Eu estou aqui para mostrar solidariedade com o povo grego, por terem a coragem que nós não tivemos. Eu espero que consigamos, mas talvez nunca iremos”, afirmou Maria Duarte em entrevista ao canal Euronews.

   No protesto em Londres, um manifestante assinalou que os ingleses estava ali “para dizer ‘OXI’ à pilhagem atual da Grécia através da ‘austeridade’ e a privatização forçada para pagar as dívidas imprudentes dos bancos europeus’”. Também em Glasgow, centenas de ativistas marcharam cantando “sem justiça, sem paz”.

 Em Berlim, uma manifestação em apoio à Grécia transcorreu sob os lemas “Basta!” e “Outra Europa é Possível”. Os organizadores do ato, nas redes sociais, assinalaram que o referendo “é um momento histórico e comovedor da democracia”. “A Europa está numa encruzilhada”, destacaram os manifestantes, denunciando que o que a Troika tenta “é impedir por todos os meios” os esforços gregos para criar uma “alternativa à austeridade”. “E isto não afeta só a Grécia, mas a todos nós”, asseveraram.

  Para eles, o referendo brindou os gregos com uma “oportunidade de se defender contra a extorsão, o empobrecimento e a desqualificação” e de votar “por uma Europa diferente, uma Europa solidária”. Os organizadores da mobilização rechaçaram a privatização, os cortes de aposentadorias, a pobreza e os privilégios, assim como o medo e a destruição da democracia. O ato também repudiou “as políticas de extorsão do [ministro] Schlaubes. “Dizemos sim à democracia e à solidariedade na Europa.

  Na capital turca, os manifestantes se dirigiram até o consulado grego, sob as palavras de ordem: “Istambul está com você!”. O participante Irfan Kaygisiz denunciou que “países e instituições imperialistas na Europa estão impondo limites por causa da crise econômica da Grécia. “Eles querem reduzir a poupança das pessoas e seus direitos”, ressaltou, apontando que o embate é entre “nossa Europa da solidariedade e da democracia”.


Capa
Página 2
Página 3

MP dilmista corta salário e aprofunda recessão no país

Emissário da campanha de Dilma me pediu para trazer R$ 20 milhões de volta ao Brasil, diz doleiro

Pessoa, da UTC, entregou à Justiça tabela de doações à campanha da reeleição dilmista

PPL: “Dilma declarou guerra ao país”

Segundo aliados, Cid e Ciro estão próximos de filiar-se ao PDT

Para engenheiro, plano de Dilma e Bendine para desinvestir Petrobrás não tem diferença do PL de Serra

Musa da mandioca obedece aos EUA e vota contra a Síria

Página 4 Página 5

ABC: metalúrgicos da Mercedes dizem ‘Não!’ à redução salarial

RJ: trabalhadores protestam contra demissões e fechamento do estaleiro Mauá, em Niterói

Comemoração ao 2 de julho reúne milhares na Bahia e professores realizam ato contra cortes do governo

Alckmin deve pagar salários dos docentes grevistas, determina STF

Abimaq-MG: Setor de máquinas e equipamentos pode demitir mais de 9 mil até o final do ano

Fiat: Mais 1200 trabalhadores em férias coletivas em Taubaté

ESPORTES

Página 6

Assange: “TISA é instrumento de monopólios contra democracia”

Odessa: governador indicado pela junta de Kiev terá os salários pagos pelos Estados Unidos

Wikileaks denuncia que Dilma foi grampeada por EUA até a bordo do avião presidencial

Arrocho para pagar banca mergulha Porto Rico no caos e na recessão. FMI recomenda mais cortes

Chile: greve de professores contra ensino privatizado passa de 30 dias

A verdade ainda que tardia: a descoberta dos arquivos do terror na Guatemala - II

Página 7

Grécia enfrenta chantagem de Merkel e dá rotundo ‘Não’ à Troika
 

 
  Milhares foram às ruas em apoio à Grécia nas principais cidades da União Europeia

   Piketty: ’Alemanha nunca pagou suas contas e não pode dar lições a ninguém’

   Diretora do FMI: “os idosos vivem demais e são um perigo”

 
  Honduras: 100 mil nas ruas de Tegucigalpa exigem renúncia do presidente Juan Orlando

Fidel a Tsipras: “Foi uma brilhante vitória política”


   Raúl: “Valente política do governo grego conta com apoio majoritário”

 

Cristina Kirchner: “referendo da Grécia marca a vitória da democracia e da dignidade”

Evo Morales saúda ‘o início da libertação do povo grego da política imperial do FMI’

 

Página 8

Governo anuncia mais aumentos para as tarifas de energia elétrica