Eleições Já!

VLADIMIR PALMEIRA (*)

Com o aprofundamento das crises econômica e política, as crises social e institucional batem às portas do país. O Governo Dilma não tem a menor capacidade de conduzir o Brasil à saída da grave situação em que se encontra. Falta-lhe legitimidade pelo enorme engodo eleitoral cometido, assim como capacidade de liderança para aprovar reformas que apontem para a retomada do desenvolvimento. Sua modorrenta continuidade por mais quase três anos agravará o quadro político, levando a crise social a pavimentar o caminho para alternativas messiânicas e autoritárias. É preocupante que comandantes militares venham a público dizer que estão atentos à situação e prontos para garantir a paz social.

Dilma tem que sair já.

Mas não basta Dilma sair. Se sua saída se der pela via do impeachment, votado por um Congresso repleto de envolvidos em escândalos, assume Michel Temer, presidente do PMDB de tantos investigados na Lava-Jato, e citado em delação premiada como patrocinador de um diretor da Petrobras flagrado no caso de corrupção na estatal. Vale lembrar ainda que Temer foi eleito na mesma chapa de Dilma em 2010 e 2014, é cúmplice das medidas desastrosas do Governo, e responde também a processo no TSE por ilegalidades cometidas na última campanha. Com Temer na Presidência, a crise institucional continuará nos rondando.

Tampouco pode ser solução a saída parlamentarista que setores do Senado articulam com apoio do ex-presidente Fernando Henrique. Imaginem o país ser dirigido por um Congresso que alça à direção das casas legislativas figuras como Eduardo Cunha e Renan Calheiros. Seria a eternização das oligarquias conservadoras no poder. Vale lembrar que o parlamentarismo já foi rechaçado como sistema de governo duas vezes pelo povo brasileiro nos últimos 55 anos.

Impeachment, parlamentarismo e intervenção militar são rupturas conservadoras, forjadas em gabinetes, para tirar Dilma sem mexer nas estruturas corrompidas de poder. A elas, devemos responder com uma ruptura democrática: a convocação imediata pelo STF de eleições gerais para a Presidência da República e para o Congresso Nacional.

Para momentos excepcionais, saídas excepcionais. É necessário chamar imediatamente o povo brasileiro a democraticamente eleger novas lideranças para o Executivo e o Legislativo, com novas ideias, desta vez discutidas com a sociedade, sem estelionato eleitoral, para tirar o país da crise. Só o voto legitima, disse um dia a Presidente. É nisto que acreditamos. Vamos resolver pelo voto.

(*) Foi deputado federal pelo PT-RJ. Atualmente filiado ao PSB, foi um dos líderes da passeata dos Cem Mil (1968).Lidera movimento que faz atos políticos no centro do Rio onde colhe assinaturas para uma petição pública solicitando Eleições Gerais Já, ao Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Capa
Página 2
  Página 3

Temer-PSDB, pacto para abafar Lava Jato e manter a recessão

Ministro da recessão “defende” Dilma

Cunha é obrigado a recuar de mais uma manobra

PSB descarta retornar à base dilmista

PMDB foi o maior sócio e beneficiário desse governo nos últimos 13 anos, diz Marina Silva

Eleições Já! (Vladimir Palmeira)

Lula e Dilma ignoraram todos os meus avisos, afirma Ciro

PF identifica agressores do ministro Teori Zavascki

Página 4 Página 5

Servidores: governo tenta impor PL para pilhar salário e demitir

Funcionários públicos do Rio voltam às ruas para exigir pagamento dos salários

Rio Grande do Sul anuncia que funcionalismo terá vencimento de março parcelado até o final de abril

Professores de SP rejeitam proposta de Alckmin que suspende bônus e reajusta salários em 2,5%

Desemprego na Grande SP sobe de 14% para 14,7% em um mês

“Fora Dilma e Temer! Eleições Gerais Já”, defende a CGTB

ESPORTES

Página 6

Inglaterra: privatizada, indústria do aço está à beira da falência

Charlie Hebdo faz piada sobre a desgraça dos atingidos pelo atentado em Bruxelas

“Usamos sanções econômicas em relação a países que se negam a nos atender e a mudar seu comportamento”

Convenção da ONU reafirma decisão: Malvinas argentinas

Liberdade, igualdade, fraternidade abandonadas para o exílio forçado

 

Página 7

França para contra assalto de Hollande ao Código do Trabalho

Sarandon defende Sanders por ser o melhor para presidir os EUA e para derrotar Trump

Corte Europeia mantém impunidade dos policiais ingleses que mataram o brasileiro Jean Charles

Japoneses repudiam “reforma” que permite aos EUA usar FFAA nipônicas como bucha de canhão

Uma luz no fim do túnel?

Produção industrial do Japão despenca 6,2% em fevereiro


Boeing anuncia demissão de 4,5 mil trabalhadores


 

Página 8

História da Petrobrás - (8)