Rio Grande do Sul anuncia que funcionalismo terá vencimento de março parcelado até o final de abril

 O Governo do Rio Grande do Sul anunciou, nesta quarta-feira, o parcelamento do salário de 75% dos servidores públicos do Estado. Segundo anúncio do governador José Ivo Sartori, será pago o valor até R$ 1.250 aos servidores, o que representa o valor integral de salário de 24,58% dos funcionários, enquanto o restante será pago em oito parcelas até o final de abril.

Este é o segundo mês do ano que os rendimentos do funcionalismo são parcelados. No mês passado, até o dia 29, os servidores receberam R$ 1.750. Para a Federação Sindical dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (Fessergs), “mais uma vez os servidores do executivo serão penalizados”. “A Fessergs irá acompanhar todas as manifestações das entidades contra mais esse ataque aos servidores e aos serviços públicos! Estamos desde o início do governo Sartori buscando diálogo, indicando soluções que gerem aumento de arrecadação, realizamos protestos, protagonizamos com o movimento unificado de servidores uma união histórica na luta pelo pagamento em dia e fomos à Justiça para garantir a integralidade. Mas nem a Justiça foi respeitada, pois as liminares não foram respeitadas”, diz a nota publicada no perfil de Facebook da entidade.

Segundo o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, a medida acontece devido às dificuldades financeiras causadas pela crise no país e por causa de dividas de fevereiro que foram pagas em março. Segundo a secretaria, serão oito parcelas até completar toda a folha em 20 de abril. Mas os pagamentos ainda poderão variar “dependendo da arrecadação estadual”.

“Não desistimos e vamos continuar lutando contra a instalação do Estado Mínimo. A população carece de serviços de qualidade. Não desistimos de saúde, educação e segurança no Rio Grande do Sul”, diz a nota da Fessergs. 

 

Capa
Página 2
  Página 3

Temer-PSDB, pacto para abafar Lava Jato e manter a recessão

Ministro da recessão “defende” Dilma

Cunha é obrigado a recuar de mais uma manobra

PSB descarta retornar à base dilmista

PMDB foi o maior sócio e beneficiário desse governo nos últimos 13 anos, diz Marina Silva

Eleições Já! (Vladimir Palmeira)

Lula e Dilma ignoraram todos os meus avisos, afirma Ciro

PF identifica agressores do ministro Teori Zavascki

Página 4 Página 5

Servidores: governo tenta impor PL para pilhar salário e demitir

Funcionários públicos do Rio voltam às ruas para exigir pagamento dos salários

Rio Grande do Sul anuncia que funcionalismo terá vencimento de março parcelado até o final de abril

Professores de SP rejeitam proposta de Alckmin que suspende bônus e reajusta salários em 2,5%

Desemprego na Grande SP sobe de 14% para 14,7% em um mês

“Fora Dilma e Temer! Eleições Gerais Já”, defende a CGTB

ESPORTES

Página 6

Inglaterra: privatizada, indústria do aço está à beira da falência

Charlie Hebdo faz piada sobre a desgraça dos atingidos pelo atentado em Bruxelas

“Usamos sanções econômicas em relação a países que se negam a nos atender e a mudar seu comportamento”

Convenção da ONU reafirma decisão: Malvinas argentinas

Liberdade, igualdade, fraternidade abandonadas para o exílio forçado

 

Página 7

França para contra assalto de Hollande ao Código do Trabalho

Sarandon defende Sanders por ser o melhor para presidir os EUA e para derrotar Trump

Corte Europeia mantém impunidade dos policiais ingleses que mataram o brasileiro Jean Charles

Japoneses repudiam “reforma” que permite aos EUA usar FFAA nipônicas como bucha de canhão

Uma luz no fim do túnel?

Produção industrial do Japão despenca 6,2% em fevereiro


Boeing anuncia demissão de 4,5 mil trabalhadores


 

Página 8

História da Petrobrás - (8)