Requião: saída para a crise
é consultar os brasileiros

O senador Roberto Requião (PMDB/PR) defendeu a realização de novas "eleições já" no país. "Qual é a saída para o desastroso governo da Dilma Rousseff? Como evitar o mal maior ainda? Deixando a decisão nas mãos dos políticos farinhas do mesmo saco?", indagou.

"A solução é ouvir o povo. A solução é ouvir você, companheiro e companheira, é consultar os brasileiros. Por isso eu insisto: eleições já. Vamos às urnas dizer o que pensamos e o que queremos. Chega de conspiração em salas fechadas, nos gabinetes atapetados dos poderosos", afirmou, em mensagem para as rádios.

Requião avaliou que, diante da imensa crise em que o país está mergulhado, "não podemos tolerar que mais uma vez as cúpulas decidam pelos brasileiros". "A crise é séria. O desemprego já deixou na rua mais de 10 milhões de brasileiros, com mulheres, mães, filhos. As fábricas e o comércio continua fechando. O serviço público continua cortando funcionários. Os salários caem, diminuem", acrescentou.

Ele avaliou que, sem a convocação do povo para opinar, a consequência vai ser o aprofundamento da política neoliberal, articulada pelas cúpulas que "tramam com banqueiros, com maus patrões e multinacionais o corte de direitos trabalhistas, a entrega da Petrobrás, do pré-sal, o fim de tudo aquilo que é propriedade dos brasileiros, o fim do salário mínimo, desmonte de sindicatos, privatização, a entrega dos nossos minérios e do nosso petróleo".

 

Capa
Página 2
  Página 3

Confissão de Delcídio faz Janot solicitar novos inquéritos ao STF

Procurador do MPF junto ao TCU diz que Dilma praticou “fraude fiscal” e “contabilidade destrutiva”

Um fantasma no Planalto

Lindbergh diz que na próxima vai dar uma cuspida em Caiado

Requião: saída para a crise é consultar os brasileiros

Página 4 Página 5

“Povo quer votar”, conclamam CGTB e Conlutas no 1º de Maio

Cut faz 1º de Maio com Dilma dos cortes e do desemprego

“Trabalhadores não suportam mais tantos juros e tanta falta de perspectivas”, diz Força Sindical

Por telegrama, GM demite 300 que estavam afastados e Sindicato denuncia na Justiça

Governo do Rio Grande e do Amapá voltam a parcelar salários de servidor

Médicos e funcionários exigem novas contratações no HU-USP

ESPORTES

Página 6

França, 1o de Maio: trabalhadores rechaçam a traição de Hollande 

Trabalhadores ingleses exigem saída de Cameron e defendem serviços públicos

Centrais espanholas rechaçam governo de arrocho e miséria

Rússia: comunistas destacam feitos do socialismo e no evento oficial trabalhadores exigem avanços

Raul comanda marcha com centenas de milhares de cubanos

Centrais argentinas repudiam o desmonte da economia, perdas e desemprego causados por Macri

Desmantelo neoliberal de Nieto é condenado nas ruas do México

Federação de Sindicatos sírios saúda o ‘dia de solidariedade’ e afirma que patriotas vencerão terroristas invasores

Página 7

Derrubada no investimento joga o PIB dos EUA no chão

1º de Maio: trabalhadores de NY, Seattle e LA vão às ruas por emprego e contra racismo

Filipinos exigem direitos trabalhistas, o fim do arrocho salarial e combate ao desemprego

Porto Rico anuncia moratória: ‘as necessidades do povo acima de tudo’

Coreanos do Sul repudiam ataques a direitos trabalhistas

Polícia do sultão Erdogan assassina trabalhador ao reprimir Ato do 1º de Maio

Página 8

Fernando Siqueira: “diretoria da Petrobrás sabota a companhia”