CARTAS

Agonia

 Não procede o caminho do impeachment como forma de protesto. Só a configuração de crime de responsabilidade, praticado pela Presidente da República, poderia dar embasamento ao impeachment. Não se configurou prática de crime por Dilma Roussef. Se está sendo incompetente no exercício do cargo, isto é outro assunto. Fosse nosso sistema de governo parlamentarista, Dilma poderia ser derrubada. No presidencialismo, não. O respeito à Constituição deve ser defendido pelos cidadãos que apoiam o Governo e por aqueles que se colocam contra o Governo. A Constituição não pertence a um partido, a um líder politico, a um setor da sociedade, nem é jornal que se deixa de lado depois de lido. É um pacto nacional, sustentáculo da Democracia.

João Baptista Herkenhoff, juiz de Direito aposentado e escritor - Vitória, ES

 Nota da Redação: Esta é a sua opinião, sem dúvida, respeitável. Mas, se o problema de Dilma fosse incompetência, já seria o caso de pensar: ninguém suporta ministro incompetente, trabalhador incompetente ou juiz incompetente. Por que o povo estaria condenado a suportar uma incompetente na Presidência? No entanto, o problema de Dilma não é incompetência – exceto se o problema de Silvério dos Reis fosse incompetência. Nem precisamos entrar na discussão das “pedaladas” - que, como demonstrou o procurador Júlio Marcelo de Oliveira, na segunda-feira, são crimes de responsabilidade precisamente devido ao seu colossal montante, jamais atingido por qualquer outro governo. Mas, além disso: não é crime de responsabilidade cometer estelionato eleitoral para destruir o país? Não é isso um ataque à Constituição? Que Constituição, ou que presidencialismo, permite que o país seja destruído por um governante - e determina que o povo aceite a destruição quieto e calado? Que “pacto nacional” sustenta essa infâmia?

 

Memória

Hoje, dia 29 de Abril é dia de Luta e Luto pelos professores, e servidores do estado do Paraná. Há exatos 1 ano, a Praça NS de Salette, em frente a Assembleia Legislativa do estado virou praça de guerra orquestrada pelo governo do Sr Beto Richa (PSDB), que intolerante com os nossos professores lavou as mãos quanto aos protestos contra votações contrárias aos interesses dos magistrados e servidores no que tange a Paraná Previdência, que ocorreu naquela casa legislativa, e tratou professores como bandidos, muitos servidores e educandos foram baleados covardemente por balas de borracha, cães da Pm morderam professores, funcionários da educação e até mesmos deputados que defendiam a manifestação dos docentes. Centenas de professores, servidores públicos, estudantes, movimentos sociais fazem nesta sexta-feira, diante do palco do massacre do ano passado uma mega manifestação.

Célio Borba – Curitiba, PR

 


Capa
Página 2
  Página 3

Confissão de Delcídio faz Janot solicitar novos inquéritos ao STF

Procurador do MPF junto ao TCU diz que Dilma praticou “fraude fiscal” e “contabilidade destrutiva”

Um fantasma no Planalto

Lindbergh diz que na próxima vai dar uma cuspida em Caiado

Requião: saída para a crise é consultar os brasileiros

Página 4 Página 5

“Povo quer votar”, conclamam CGTB e Conlutas no 1º de Maio

Cut faz 1º de Maio com Dilma dos cortes e do desemprego

“Trabalhadores não suportam mais tantos juros e tanta falta de perspectivas”, diz Força Sindical

Por telegrama, GM demite 300 que estavam afastados e Sindicato denuncia na Justiça

Governo do Rio Grande e do Amapá voltam a parcelar salários de servidor

Médicos e funcionários exigem novas contratações no HU-USP

ESPORTES

Página 6

França, 1o de Maio: trabalhadores rechaçam a traição de Hollande 

Trabalhadores ingleses exigem saída de Cameron e defendem serviços públicos

Centrais espanholas rechaçam governo de arrocho e miséria

Rússia: comunistas destacam feitos do socialismo e no evento oficial trabalhadores exigem avanços

Raul comanda marcha com centenas de milhares de cubanos

Centrais argentinas repudiam o desmonte da economia, perdas e desemprego causados por Macri

Desmantelo neoliberal de Nieto é condenado nas ruas do México

Federação de Sindicatos sírios saúda o ‘dia de solidariedade’ e afirma que patriotas vencerão terroristas invasores

Página 7

Derrubada no investimento joga o PIB dos EUA no chão

1º de Maio: trabalhadores de NY, Seattle e LA vão às ruas por emprego e contra racismo

Filipinos exigem direitos trabalhistas, o fim do arrocho salarial e combate ao desemprego

Porto Rico anuncia moratória: ‘as necessidades do povo acima de tudo’

Coreanos do Sul repudiam ataques a direitos trabalhistas

Polícia do sultão Erdogan assassina trabalhador ao reprimir Ato do 1º de Maio

Página 8

Fernando Siqueira: “diretoria da Petrobrás sabota a companhia”