Desmantelo neoliberal de Nieto é condenado nas ruas do México

À Milhares de pessoas participaram da manifestação na Cidade do México que uniu os sindicatos dos mineiros, telefonistas, trabalhadores da Universidade Nacional Autônoma de México, eletricistas e pilotos, repudiando o governo de Peña Nieto pela situação econômica que levou ao desmantelamento dos direitos trabalhistas e a "investida feroz" contra o setor operário, consequência da destruição da indústria do país. Rejeitaram ainda a pretensão de aumentar a idade da aposentadoria e congelar os salários.

No 1º de Maio também se manifestaram as entidades camponesas aglutinadas na Frente Autentica do Campo, o Sindicato do Transporte, estudantes do Instituto Politécnico Nacional, a União Nacional de Técnicos Petroleiros, entre outros, que desde diversos pontos realizaram mobilizações que confluíram no Zócalo, principal e maior praça da capital.

Os pais e familiares dos 43 normalistas de Ayotzinapa, desaparecidos em situação não esclarecida, estavam na frente da manifestação expressando a exigência da sociedade mexicana "Vivos os levaram, vivos os queremos".

A marcha acabou com um minuto de silencio em memória das vítimas da explosão no complexo petroquímico de Pajaritos, ocorrida na semana passada, onde morreram pelo menos 32 trabalhadores.

 


Capa
Página 2
  Página 3

Confissão de Delcídio faz Janot solicitar novos inquéritos ao STF

Procurador do MPF junto ao TCU diz que Dilma praticou “fraude fiscal” e “contabilidade destrutiva”

Um fantasma no Planalto

Lindbergh diz que na próxima vai dar uma cuspida em Caiado

Requião: saída para a crise é consultar os brasileiros

Página 4 Página 5

“Povo quer votar”, conclamam CGTB e Conlutas no 1º de Maio

Cut faz 1º de Maio com Dilma dos cortes e do desemprego

“Trabalhadores não suportam mais tantos juros e tanta falta de perspectivas”, diz Força Sindical

Por telegrama, GM demite 300 que estavam afastados e Sindicato denuncia na Justiça

Governo do Rio Grande e do Amapá voltam a parcelar salários de servidor

Médicos e funcionários exigem novas contratações no HU-USP

ESPORTES

Página 6

França, 1o de Maio: trabalhadores rechaçam a traição de Hollande 

Trabalhadores ingleses exigem saída de Cameron e defendem serviços públicos

Centrais espanholas rechaçam governo de arrocho e miséria

Rússia: comunistas destacam feitos do socialismo e no evento oficial trabalhadores exigem avanços

Raul comanda marcha com centenas de milhares de cubanos

Centrais argentinas repudiam o desmonte da economia, perdas e desemprego causados por Macri

Desmantelo neoliberal de Nieto é condenado nas ruas do México

Federação de Sindicatos sírios saúda o ‘dia de solidariedade’ e afirma que patriotas vencerão terroristas invasores

Página 7

Derrubada no investimento joga o PIB dos EUA no chão

1º de Maio: trabalhadores de NY, Seattle e LA vão às ruas por emprego e contra racismo

Filipinos exigem direitos trabalhistas, o fim do arrocho salarial e combate ao desemprego

Porto Rico anuncia moratória: ‘as necessidades do povo acima de tudo’

Coreanos do Sul repudiam ataques a direitos trabalhistas

Polícia do sultão Erdogan assassina trabalhador ao reprimir Ato do 1º de Maio

Página 8

Fernando Siqueira: “diretoria da Petrobrás sabota a companhia”