Lula diz que quer resolver o “problema” da Previdência com Henrique Meirelles

Disse Lula, em sua aparição, na manifestação contra o roubo da Previdência, na avenida Paulista, em São Paulo: "... o golpe dado nesse país não foi apenas contra a Dilma, foi para colocar um cidadão sem nenhuma legitimidade para acabar com as conquistas da classe trabalhadora, com a reforma trabalhista e da Previdência. Eu gostaria que o Meirelles estivesse ouvindo, que um dia nós resolvêssemos o problema da Previdência, ao invés de fazer uma reforma para tirar direitos".

Será que não restou a Lula nem um restículo de decência?

O gato se pega pelo rabo. Que "problema" da Previdência? É óbvio, ele considera que há um "problema" da Previdência, que é o mesmo que Meirelles diz que existe. Se não fosse assim, não diria "eu gostaria que o Meirelles estivesse ouvindo, que um dia nós resolvêssemos o problema da Previdência", etc.

Lula não tem escrúpulos em despejar essa demagogia - o contrário do que acha - sobre o povo que realmente estava ali para barrar o ataque à Previdência. Lula, estava lá para escapar da cadeia – quer se eleger, aplicando mais um estelionato eleitoral. Quanto ao Brasil e seu povo...

Há pouco mais de um ano, Lula declarou que a Previdência devia ser reformada porque "quando a lei foi criada, se morria com 50 anos. Hoje, a expectativa de vida é de 75 anos" (entrevista, 20/01/2016).

Qual a diferença disso para Meirelles e Temer?

Lula não protestou – pelo contrário, apoiou – quando Dilma iniciou o ataque à Previdência, cortando as pensões por morte, o seguro desemprego (em meio à recessão mais grave da História do país) e enviou ao fórum previdenciário a proposta de que a idade mínima para se aposentar fosse, tanto para homens quanto para mulheres, 68 anos.

Porém, a prova mais irretorquível de seu apoio ao ataque às aposentadorias é a sua ligação com Meirelles – funcionário pago até hoje pelo BankBoston, uma divisão do Bank of America – que ele nomeou para o BC, protegeu das investigações do Caso Banestado, e queria como ministro da Fazenda de Dilma.

Para que Meirelles na Fazenda? Evidentemente, para fazer o que está fazendo, ao atacar a Previdência e devastar as contas públicas. Esse é o único "programa" de Meirelles.

Na entrevista que citamos, disse Lula: "Se tem uma coisa de que me orgulho é que não tem uma viva alma mais honesta do que eu. A apuração de corrupção é um bem desse país. Duvido que tenha um promotor, delegado, empresário que tenha a coragem de afirmar que eu me envolvi em algo ilícito".

As coisas mudam, mas, quanto à Previdência, esse é um dos "resquícios" do getulismo que Lula sempre detestou. Aliás, ele promoveu uma "reforma" na Previdência dos funcionários públicos, e, quando prorrogou por quatro anos a Desvinculação dos Recursos da União (DRU), desviando 20% dos recursos da Previdência para o "superávit primário" - isto é, para os juros aos bancos - não teve pejo em dizer o seguinte, na Exposição de Motivos: "Embora os indicadores da economia nacional estejam, hoje, bem melhores do que no passado, a cautela exige que se mantenha vigente tal comando até que as condições macroeconômicas e as incertezas do cenário internacional desapareçam".

Parece escrito por Meirelles. Na época, "o país apresentava taxas de desemprego recordes (na Grande São Paulo, o desemprego atingia 20,6% da população ocupada e, de acordo com o IBGE, 14,6%), a taxa nominal de juros básica era de 26,5% e a demanda apresentava claros indicadores de retração da economia. No entanto, chama cinicamente de cautela o expediente da desvinculação de recursos da seguridade para engrossar o superávit primário exigido pelo FMI" (Rosa Maria Marques Áquilas Mendes, "O governo Lula e a contra-reforma previdenciária", São Paulo em Perspectiva, 18(3), 2004, p. 6).

Em seu recente encontro com Temer, quando disse "não se faz reforma da Previdência com o país em recessão", ouviu a resposta: "você também fez". Mas Lula aconselhou Temer sobre "a melhor forma de aprovar a reforma da Previdência. Seria um erro afirmar que a Previdência está quebrada. O correto, disse Lula, seria alegar que a aposentadoria das futuras gerações está em jogo" (HP 08/02/2017).

A propósito, é verdade que Temer é "um cidadão sem nenhuma legitimidade". Mas quem o colocou no poder foi Lula – e Dilma. Quem o escolheu duas vezes para a vice-presidência?

CARLOS LOPES

 
 
Capa
Página 2
Página 3

Atos dizem NÃO a Temer & súcia em defesa da Previdência e CLT

Lula diz que quer resolver o “problema” da Previdência com Henrique Meirelles

Lava Jato quer punir criminosos, mas presidente do TSE se reúne com eles no Palácio do Planalto

STF vê indícios de crime ambiental em Padilha

Diretor da Odebrecht reafirma que Palocci é o “Italiano”

O sr. Rodrigo Maia e o desnudo da “reforma trabalhista” (Marco Antonio Campanella)

Supremo aceita denúncia contra deputado petista

Página 4 Página 5

SP: Metalúrgicos param vias contra assalto à Previdência

Estivadores enfrentam repressão da PM durante protesto em Santos

“Se a PEC passar, a polícia vai parar”, alertam agentes federais e civis durante manifestação

“PEC é retrocesso inadmissível que a sociedade brasileira não pode aceitar”, diz presidente da OAB

Justiça manda governo Temer retirar propaganda enganosa sobre reforma

Transporte para e população aplaude metroviários em greve

ESPORTES - Zagueiro marca e Palmeiras vence no apagar das luzes

Página 6

“Lava Jato” lusa flagra o conluio Odebrecht, Lula e premiê Sócrates

Lava-Jato flagra propina da Odebrecht por obra de hidrelétrica em Portugal

Argentinos promovem barulhaço contra tarifaço de Macri e arrocho que provoca o desemprego

Holanda: presepada antimuçulmana às vésperas da eleição dá vitória apertada a Rutte sobre Wilder

Herói grego condena os “ajoelhados diante dos poderes estrangeiros”

Guatemaltecos exigem renúncia de Jimmy Morales após a morte de 40 meninas asfixiadas

25 mil camponeses marcham até o Palácio Nacional: “Fora Jimmy” 

Página 7

Trump libera execuções com drones da CIA e desativa ‘terças da morte’

Justiça americana bloqueia novo decreto anti-imigrantes de Trump

Fed sobe 0,25% mas juro continua negativo


França: candidato François Fillon é indiciado por ter agraciado mulher e filhos com empregos-fantasma

“Escândalo dos nudes”: e como fica o moral da tropa na hora de tocar o terror “do alto de Montezuma às praias de Trípoli”?


Papa critica adoradores do dinheiro que fecham as fábricas e os empregos


Premiê Li Keqiang saúda ‘grande progresso do comércio sino-russo’

Intercâmbio Irã-Rússia cresceu 80% em 2016
 

Página 8

Os auditores fiscais da Receita contra as mentiras do governo sobre a Previdência