Presidencialismo sultânico vence na Turquia por estreita margem

Por uma estreita margem – 51,3% a 48,7% - a Turquia aprovou, domingo, a instauração do regime presidencialista, no lugar do parlamentarismo com presidente honorário, em plebiscito convocado pelo presidente Recep Erdogan, que vem governando com estado de emergência e prisões em massa, inclusive de 13 parlamentares pró-curdos, desde o golpe fracassado de junho do ano passado, além de operações de guerra interna contra a população curda. Além de poder ser reeleito, Erdogan também poderá nomear e demitir ministros diretamente, dissolver o parlamento e antecipar eleições.

O resultado mostra um país extremamente dividido, em que multidões de seguidores de Erdogan e do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) comemoraram, enquanto milhares vão às ruas das duas principais cidades, Istambul e Ancara – onde o “não” venceu -, para protestar.

Os oposicionistas denunciam que, plebiscito sob estado de emergência e guerra interna é fraude aberta. Também contestam decisão da comissão eleitoral de contar cédulas não carimbadas, que seriam invalidadas em eleições anteriores, e que responderam por 1,5 milhão de votos. O “sim” venceu por 1,1 milhão. O vice-presidente do principal partido de oposição, o Partido Republicano do Povo (CHP, kemalistas), Bulen Tezcxan, anunciou que apresentará recurso no Tribunal Constitucional turco para anular o plebiscito.

A União Européia reagiu mal ao resultado. Trump telefonou a Erdogan para parabenizá-lo. O chanceler austríaco, Sebastian Kurz, chegou a pedir “o fim da ficção” da candidatura da Turquia à UE. Dizendo que a Turquia irá “seguir seu próprio caminho” acusou os países europeus de fazerem uma campanha pelo “não” muito mais dura do que a dos partidos turcos de oposição, inclusive com “ameaças de suspensão das negociações de adesão à UE”. Condenou, ainda, a “mentalidade de cruzados do Ocidente e dos seus servos internamente”.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que os resultados são “um assunto soberano da Turquia” e que a Rússia considera “que todos devem respeitar a vontade do povo turco”. Nos últimos dias, após apoio de Erdogan ao ataque com mísseis Tomahawk contra a Síria, as relações Rússia-Turquia esfriaram.
 

 


 

 

 

 

 

 

 


 


Capa
Página 2
Página 3

Temer mentiu: agendou reunião da propina com grupo Odebrecht

Reforma política dos ladrões é para manter o roubo

Cunha distribuiu R$ 50 milhões da Odebrecht para Jucá, Chinaglia, Mabel e outros aliados

Para Gleisi, não é o roubo mas a Lava Jato o perigo

Referências eram “sítio de Lula”, diz Odebrecht

Juiz Sérgio Moro aceita as 87 testemunhas desde que seja com a presença de Lula

PHA: Lula com Odebrecht é errado

Página 4 Página 5

Anfip e fórum dos servidores aderem à greve geral dia 28

Policiais civis da Bahia param dia 28 contra reforma da Previdência

Metrô de São Paulo tentará sabotar greve geral substituindo funcionários, denuncia Sindicato

“Regra de transição que governo quer impor é injusta e inconstitucional”, afirmam Juízes e Ministério Público

CSP-Conlutas: “Não podemos aceitar que uma corja de bandidos sem moral ameace os nossos direitos”

Reforma trabalhista acaba com salário fixo e coloca em riscos direitos básicos

ESPORTES - Vasco vence Botafogo e conquista a Taça Rio

Página 6

Presos palestinos iniciam greve de fome contra prisões da ocupação

Chilenos rechaçam ‘reforma’ faz de conta de Bachelet que mantém previdência privada

Presidencialismo sultânico vence na Turquia por estreita margem

Ex-ministros do governo Chávez denunciam ruptura constitucional na Venezuela

Pós-Otan: ONU denuncia o comércio de escravos na Líbia

Página 7

Professor do MIT denuncia: laudo de Trump sobre sarin na Síria “é falso”

Porta-voz russo: ninguém solicitou antídotos na área do ‘ataque’ químico

Terroristas explodem carro-bomba na Síria e matam 125 civis, entre os quais 60 crianças


Chomsky: “PT não pôde manter as mãos fora da caixa registradora e se uniu à elite mais corrupta”

Economia chinesa cresceu 6,9% no 1º trimestre

Documento secreto dos EUA confirma que a invasão do Panamá em 1989 foi mesmo por controle do Canal

Lavrov alerta para que EUA não repita contra a RPDC o que fez na Síria

MOAB destruiu no Afeganistão instalações construídas pela CIA

Página 8

Nelson Werneck Sodré: a obra de José de Alencar na História - (3)

Publicidade