RPDC e Coreia do Sul anunciam a reabertura do complexo de Kaesong

A República Popular da Coreia e a Coreia do Sul anunciaram nesta quarta-feira (14) um acordo para o funcionamento do Parque Industrial conjunto aberto em 2004 e que fica em Kaesong, cidade norte-coreana na fronteira com a Coreia do Sul.

A zona industrial que abriga 123 empresas sul-coreanas e emprega mais de 53 mil trabalhadores foi fechada em abril desse ano quando culminaram as tensões na Península Coreana com ameaças e provocações dos EUA contra a RPDC por ocasião da realização de manobras militares entre a Coreia do Sul e os EUA na fronteira com o Norte.

O projeto de complexo industrial entre o Norte e o Sul é parte de um plano de cooperação entre a RPDC e a Coreia do Sul para o restabelecimento do diálogo entre os dois países e é um símbolo de cooperação econômica concreta. Tal diálogo não é bem visto pelos EUA que ocupam militarmente a Coreia do Sul e não têm nenhum interesse nas boas relações entre os dois países da Península Coreana.

Ainda não foi definida uma data para o reinício das operações, mas se depender da vontade dos empresários sul-coreanos e do governo da RPDC não tardará muito.

Em Pyongyang um editorial publicado no jornal Rodong Sinmun assinala que "melhorar as relações intercoreanas com o diálogo e a cooperação e abrir o caminho da paz e da prosperidade nacional são a invariável posição da RPDC e substituir as relações intercoreanas de desconfiança e confronto pelas da fé e da reconciliação é a demanda da época atual. O confronto fratricida é fruto da política agressiva das forças estrangeiras. A história da divisão nacional mostra que o confronto e o agravamento das tensões entre Norte e Sul trazem apenas a continuação da divisão e o desastre da guerra."

Na próxima quinta-feira, 16 de Agosto, a RPDC comemorará 68 anos do fim da ocupação japonesa da Coreia, luta liderada por Kim Il Sung que pôs fim aos quase 40 anos de colonialismo e submissão em que vivia o país e permitiu a recuperação da independência.

ROSANITA CAMPOS


Capa
Página 2
Página 3

Espionagem dos EUA: Brasil repudia sequestro de David

Sindicato dos Jornalistas repudia “agressões de grupelhos fascistas nos protestos do Rio”

Para Dilma, é o fator previdenciário, e não as desonerações, que prejudica a Previdência

PPL divulga a mobilização das centrais no dia 30 e quer a mudança da política econômica

Tarso: “resolver a dívida interessa ao país, e não só ao Rio Grande do Sul”

Juízes e OAB apoiam ministro Lewandowski e condenam mais uma prepotência de Barbosa

Página 4 Página 5 Página 6

O favorecimento explícito e ilegal às multinacionais no leilão do pré-sal

Página 7 Página 8

25 policiais assassinados em massacre no Egito

Colombianos em greve exigem investimento em saúde e educação

Líder do Líbano condena atentado por terroristas sírios em Beirute

Egípcios lançam movimento contra ingerência dos EUA

Economia da Argentina cresce 5,1% no semestre

Equador: Chevron terá a resposta que merece